top of page

Suzano recebe a visita de Tchongolola Tchongonga, rei da maior etnia de Angola

Líder dos ovimbundu, o monarca participou de ato solene no Cineteatro Wilma Bentivegna com o prefeito Rodrigo Ashiuchi e o vice-prefeito Walmir Pinto

O Cineteatro Wilma Bentivegna ficou lotado na manhã desta quinta-feira (26/10) para receber a ilustre visita do rei do povo do maior grupo étnico de Angola, Tchongolola Tchongonga Ekuikui VI, líder dos ovimbundu, que representa 37% da população do país, com 13 milhões de pessoas.


Para garantir a recepção a toda a comitiva que o acompanhou, sempre ao som de atabaques, a administração municipal organizou uma programação ampla, que contemplou vários locais simbólicos do município e foi iniciada por um ato solene no cineteatro, na qual participaram o prefeito Rodrigo Ashiuchi; a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Larissa Ashiuchi; o vice-prefeito e secretário municipal de Cultura, Walmir Pinto; e o vereador Artur Takayama.


Ainda estiveram presentes na visita o assessor do rei e secretário Celestino Chiwissi Mumbepia; o vice cônsul-geral de Angola em São Paulo, Bernardo Neto; o diretor geral do Centro Cultural Casa de Angola em São Paulo, Isidro Sanene; o gestor de Patrimônio do Centro Cultural Casa de Angola, Emanuel Bravo; e o diretor interno do Centro Cultural Casa de Angola, Lino Neves. Juntos ao rei, eles cumpriram o roteiro programado pela Secretaria Municipal de Cultura e, após a recepção no cineteatro, ocorreu a visita à exposição de arte indígena no Salão de Exposição Antônio Palomares, no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi; um almoço no Casarão da Memória Antônio Marques Figueira; visita à Escola Municipal Antônio Marques Figueira; um plantio cerimonial de uma muda de dendê ao lado do Pavilhão Zumbi dos Palmares, no Parque Municipal Max Feffer; e um encontro com estudantes na Associação Cultural Suzanense - Bunkyo.


A visita teve o objetivo de fortalecer os laços e as relações culturais tradicionais que fazem parte da sociedade brasileira por meio da cultura africana, contribuindo com os estudos referentes à tradição do continente a partir dos ritos, ritmos e da mais diversa ligações enraizadas na sociedade angolana. A presença de um líder ovimbundu no Brasil é inédita. Por isso, ele aproveitou a ocasião para compartilhar os hábitos e costumes de seu povo pelas cidades por onde passou. Este roteiro inclui, além de Suzano, os municípios de São paulo, Guarulhos, Florianopólis (SC), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA).


Em sua fala, durante o evento de recepção para autoridades municipais e representantes de entidades ligadas à igualdade racial, o rei Tchongolola Tchongonga Ekuikui VI destacou a parceria com Suzano. “Não resta dúvidas de que a cidade engrandece os valores culturais que unem Brasil e Angola. Fomos muito bem-recebidos nesta terra, que está abençoada para receber todas as raças do mundo. Lutamos juntos para termos igualdade de convivência, de forma que a paz reine nos homens”, ressaltou o representante do povo ovimbundu.


O vereador Artur Takayama falou em nome do legislativo municipal no evento de abertura da programação e parabenizou a prefeitura por viabilizar essa visita. “A administração municipal não mediu esforços para garantir que Suzano estivesse no roteiro do rei no Brasil. É um momento inédito que estamos vivenciando e que deixará muitos frutos para os munícipes e para a luta pela igualdade racial em nosso país”, afirmou o parlamentar.


Por sua vez, o vice-prefeito salientou que a presença do rei angolano no Brasil se deve à ótima relação entre a pasta e o Centro Cultural Casa de Angola. “Já temos desenvolvido atividades em conjunto na parte de literatura e estreitando laços para promover intercâmbio cultural. Por essa proximidade, conseguimos viabilizar essa visita, tão concorrida entre outros municípios brasileiros. A vinda do líder angolano nos remete às nossas raízes, muito ligada ao povo africano”, destacou Walmir.


Ao se dirigir ao rei dos ovimbundu e aos presentes, o prefeito reforçou que o intercâmbio proporcionado pela presença física de Tchongolola Tchongonga tem inúmeros significados para Suzano e para o Brasil. “É um momento histórico e muito simbólico para o nosso município. Somos uma das poucas cidades que estão tendo a honra de receber essa visita. O encontro com nosso povo tem um valor simbólico muito grande, para o combate ao racismo, para a busca pelas oportunidade igualitárias e para a valorização de nossas tradições”, frisou Ashiuchi.


Ao final do evento, o prefeito entregou alguns presentes ao rei, entre eles uma placa comemorativa sobre o encontro e, em retribuição, Tchongolola Tchongonga presenteou Ashiuchi e Walmir Pinto com o livro “A hegemonia dos Ovimbundu no Reino do Mbalundu” de autoria própria


Presenças


Na solenidade também participaram por parte da administração municipal os secretários Pedro Ishi (Saúde); Afrânio Evaristo da Silva (Segurança Cidadã e Chefia de Gabinete); Cintia Renata Lira (Administração); Alex Santos (Governo); Elvis Vieira (Planejamento Urbano e Habitação); Paulo Pavione (Comunicação Pública); além da supervisora da Secretaria Municipal de Cultura, Márcia Belarmino; o coordenador de Literatura da pasta, Tiago da Silva Palma; a coordenadora de Cultura Popular, Raquel Pereira; e o assessor estratégico da Controladoria Geral do Município, Cesar Braga.


Ainda participaram a presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir), Inês da Silveira; o presidente do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Sociocultural Negro Sim (CPD Negro Sim), Cosme Nascimento; o presidente do Conselho Municipal de Desporto, José Serafim da Silva Júnior; o presidente da Associação Cultural Suzanense - Bunkyo, Reinaldo Katsumata; o delegado titular da Delegacia de Polícia (DP) Central de Suzano, Sérgio Garutti; e a pró-reitora do UniPiaget, Poliana Lima.


O Reino


O rei Tchogolola Tchongonga Ekuikui VI é o 37º soberano do reino do Bailundo e pertence à linhagem de Ekuikui, sendo o primeiro neto legítimo marterlinear do falecido rei Augusto Katchitiopololo (rei Ekuikui IV). Ele é formado em Direito e fala quatro idiomas, sendo uma delas a língua Umbundu.


O Reino do Bailundo surgiu em 1700 e foi um estado nacional africano dos povos ovimbundos, dotado de poderes políticos e econômicos. O reino encontra-se localizado no Planalto Central de Angola e abrange as províncias do Huambo, Benguela, Bié e uma parte da Huíla.



Crédito das fotos: Mauricio Sordilli/Secop Suzano


12 visualizações0 comentário
bottom of page