Suzano inicia estudos para tombamento da igreja do Baruel

Assunto foi tema na primeira reunião do Conselho do Patrimônio Cultural

O Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (Compac), empossado no último sábado (09/04) em solenidade oficial no Casarão da Memória, promoveu sua primeira reunião tendo como foco o início dos estudos para o tombamento material e imaterial da capela Nossa Senhora da Piedade, conhecida como “Igreja do Baruel”, e da Festa do Baruel. O objetivo do trabalho é garantir o legado cultural e preservar este patrimônio, que é parte da história de fundação de Suzano.


A reunião técnica, realizada logo após a posse inédita do conselho no município, ainda aprovou o regimento interno e definiu a mesa diretiva desta primeira gestão, sendo composta por Amaury Rodrigues (presidente); Cind Kelly Octaviano (vice-presidente); Pedro Luiz Cardoso (secretário) e Epeus José Michelette (secretário-adjunto).


O grupo completo tem 14 membros titulares e 14 suplentes, contando com representantes do Poder Executivo, das secretarias municipais de Cultura, de Planejamento Urbano e Habitação, de Manutenção e Serviços Urbanos, de Meio Ambiente, de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego, de Educação e de Assuntos Jurídicos; do corpo docente e discente da Faculdade Piaget e do Instituto Federal de São Paulo (IFSP); e de grupos com atuação na defesa e preservação do patrimônio histórico, Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Suzano (AEAAS), Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU) e Diocese de Mogi das Cruzes.


De acordo com o presidente do órgão colegiado, os próximos passos contemplam a qualificação dos conselheiros, por meio de cursos, palestras e visitas técnicas. A partir deste grupo capacitado será possível a elaboração de um estudo técnico aprofundado para o tombamento da Capela de Nossa Senhora da Piedade, a Igreja do Baruel, e outras demandas que chegarem ao conselho. “Esse estudo é um trabalho a longo prazo, detalhado e aprofundado para apreciação do conselho municipal. Isso envolve a parceria entre o poder público, as universidades e entidades relacionadas à defesa do patrimônio”.

O secretário municipal de Cultura, o vice-prefeito Walmir Pinto, destacou ainda a importância do tombamento por parte do governo do Estado. “A partir desse trabalho no município, conseguimos pleitear também o tombamento pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) para garantir recursos públicos exclusivamente voltados à preservação do patrimônio. Além disso, é muito importante a cidade se reconhecer na obra e saber de suas origens”, disse, enaltecendo o Baruel como o único marco da fundação do território suzanense há mais de 130 anos. “É uma história que precisa ser relembrada e preservada”, reforçou.


Cerimônia

A solenidade de posse do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (Compac) contou com a presença de autoridades do setor, sendo também acompanhada pelo prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi. “Esse conselho inédito na cidade é de suma importância para a preservação histórica da nossa história cultural. Há tempos gostaríamos de efetivar esse trabalho e hoje temos a oportunidade de colocá-lo em prática, com um time de peso que vai nos auxiliar com maestria nesse processo de reconhecimento”, afirmou.

O evento também foi acompanhado pelos secretários Alex Santos (Governo) e Elvis Vieira (Planejamento Urbano e Habitação), além do chefe de Gabinete, Afrânio Evaristo. Entre os vereadores marcaram presença Artur Takayama, Joaquim Rosa e José Oliveira Lima, o Zé Oliveira.


Ainda estiveram presente a diretora de Patrimônio Histórico, Rita Paiva; o titular de artes visuais do Conselho Municipal de Políticas Culturais, Carlos Magno; a presidente do Conselho Municipal de Cultura, Márcia Belarmino; o diretor-geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), Eugenio Zampini; a coordenadora-adjunta do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU/SP), Consuelo Gallego; o secretário-geral adjunto e a presidente da Comissão de Cultura da OAB Suzano, Renan de Lima Franco e Juliana Mantoan; e o venerável mestre da loja Maçônica “31 de Março”, Adyr Ghiorzi Brandão.



Crédito das fotos: Gabriel Lima/Cultura Suzano

23 visualizações0 comentário