top of page

Prefeito assina autorização para tombamento do Conjunto Histórico da Fazenda Sertão

Após participar de missa na Capela Santa Helena, Rodrigo Ashiuchi oficializou interesse da prefeitura na preservação do espaço

O prefeito Rodrigo Ashiuchi participou neste sábado (28/10) de um ato simbólico que representou a consolidação do processo de tombamento do Conjunto Histórico da Fazenda Sertão. Após missa na Capela Santa Helena, no distrito de Palmeiras, o chefe do Poder Executivo suzanense reconheceu, por meio de assinatura, a importância deste local para o município. Participaram da cerimônia a presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (Compac), Cind Octaviano, o vice-presidente da entidade e diretor da Secretaria Municipal de Cultural, Amaury Rodrigues, além de vereadores, secretários, líderes religiosos, autoridades militares e acadêmicos.


O Compac havia definido pelo tombamento dos conjuntos arquitetônicos formados pela Capela de Santa Helena e a Escola Estadual Helena Zerrener durante reunião deliberativa realizada em 17 de agosto. Na oportunidade, também ficou decidido que seriam incluídas na lista de bens de interesse cultural, dentro da Zona Especial de Preservação Cultural (Zepec), a Fazenda Santa Helena, a chaminé do antigo alambique onde se produzia a Água Ardente Sertão, e o Loteamento Clube dos Oficiais, além do próprio Clube dos Oficiais. Todos esses espaços pertencem à área que constituiu a antiga Fazenda Sertão, que ocupava um terço do território atual de Suzano e estendia-se para uma área significativa do município de Ribeirão Pires.


Nesta semana, os membros do Compac se reunirão para decidir o cronograma de restauro dos locais tombados. Os recursos necessários para a realização destas intervenções serão viabilizados pela empresa Magic City, por meio de um acordo com o Clube dos Oficiais, responsável pela área onde estão instalados os conjuntos arquitetônicos. Assim que o projeto para o restauro estiver concluído, será enviado à prefeitura e ao Compac para aprovação.


Cind Octaviano destacou que a consolidação desse processo valoriza os elementos que contribuíram para o desenvolvimento da sociedade suzanense. “O patrimônio cultural tanto material, imaterial ou paisagístico, constitui uma forma de documento que elegemos deixar para as próximas gerações, capazes de expressar de forma plástica nossas características e nossos valores quanto sociedade, ou seja, nossa estética”, declarou a presidente do Compac.


Rodrigues, por sua vez, abordou a representatividade do conjunto tombado para a história do município. “A Fazenda Sertão representa um dos núcleos de formação onde passou a ser constituída a cidade de Suzano, juntamente com o Baruel, Guaió e Boa Vista. A história foi remontada, a partir de documentos levantados pelos pesquisadores do Compac, que remetem ao século XIX. A valorização deste local ajuda a entendermos melhor as raízes do município”, afirmou o diretor.


Em sua fala, Ashiuchi reforçou que o desenvolvimento da cidade também passa pela atenção com a tradição local. “Nós sabemos da importância de defender nossos bens sejam eles materiais e imateriais. Saber de onde viemos e como o município se desenvolveu nos ajuda a projetar nosso futuro, com a consciência do valor de nossa história, do nosso território e das construções que devemos preservar, assim como os costumes que são associados à nossa cultura”, sublinhou o prefeito.


A solenidade de assinatura ainda contou com a presença do frei Alexis Hernandéz; dos coronéis da Polícia Militar Gerson Lima de Miranda e Marco Antonio Geraldini, que também é diretor da Associação dos Oficiais da Polícia Militar; do presidente da Câmara Municipal, Joaquim Rosa, e dos vereadores Gerice Lione e Rogério Castilho; dos secretários Pedro Ishi (Saúde); Alex Santos (Governo) e Paulo Pavione (Comunicação Pública); da diretora da Escola Estadual Helena Zerrener, Carol Silva; do professor do Instituto Federal (IFSP) Campus Suzano, Vagner Garo; do secretário-geral adjunto do Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Suzano e membro do Compac, Renan de Lima Franco; do CEO do Magic City, Paulo Uemura; da diretora Regional de Ensino, Mara Bioto; e da presidente do Conselho de Preservação do Patrimônio Histórico de Mogi das Cruzes (Comphap), Ana Sandim.


Outros bens

O Conjunto Histórico da Fazenda Sertão foi o segundo bem tombado em Suzano, depois da Academia de Judô Terazaki. Atualmente, o Compac conduz os estudos que poderão também garantir o tombamento do prédio localizado na rua Campos Salles, 601, que abrigou o primeiro Paço Municipal da cidade, de 31 de maio de 1952 até 1993, e que também abrigou a sede do Poder Legislativo municipal até 1º janeiro de 2002. No início de 2024, o conselho deverá deliberar sobre o trabalho referente à investigação em torno do valor da edificação, que desde março de 2004 funciona como uma unidade do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), no centro.



Créditos das fotos: Luana Bergamini/Secop Suzano e Glaucia Paulino/Secop Suzano

12 visualizações0 comentário
bottom of page