Imóvel que abriga Casarão da Memória completa 137 anos

Construção terminou em 22 de maio de 1885 e imóvel foi completamente restaurado pela Prefeitura de Suzano

O histórico imóvel que abriga o Casarão da Memória Antônio Marques Figueira completa 137 anos de existência neste domingo (22/05). E mais do que a própria construção, o resgate do local, que fica na rua Campo Salles, 543, no centro, merece ser celebrado. A comemoração faz parte do aniversário de 73 anos de emancipação político-administrativa de Suzano, comemorado em 2 de abril.

O imóvel construído para ser a casa do feitor Antônio Marques Figueira, que hoje só pode ser visto pelo seu endereço atual, já teve um pomar nos fundos da propriedade, quando a entrada era pela rua Dr. Prudente de Moraes, de frente à linha férrea, e chegou a sediar uma clínica médica.

A diretora de Patrimônio Histórico e Cultural de Suzano, Rita Paiva, lembrou como foi o processo de restauração do local, que é de 1885. “Este casarão é um dos primeiros de Suzano e nos demos conta disso recentemente, quando ele estava quase para ser demolido. Nós, como suzanenses, olhamos este casarão com muito carinho e esse sentimento é comum a todos os moradores, por isso batalhamos pela sua restauração”.

Embora boa parte da estrutura do imóvel seja nova, muitos aspectos puderam ser preservados, como detalhou a diretora. “As portas e as janelas são originais. O piso hidráulico na parte de cima também é da época, então isso pudemos manter. Posso dizer que ele foi restaurado de forma moderna”. Além disso, o telhado que também é original e preservado até hoje, não exigia o uso de calhas e tem um formato irregular nas áreas laterais da casa. O modelo foi muito utilizado na arquitetura brasileira na época da inauguração.

Para o prefeito Rodrigo Ashiuchi, o Casarão da Memória representa a fusão do moderno com o passado de Suzano. “Este espaço nos orgulha como suzanenses. Mostra que podemos seguir caminhando para o futuro sem esquecer as raízes da cidade e de como tudo começou”. Já para o secretário de Cultura, o vice-prefeito Walmir Pinto, o local mantém Suzano na rota cultural do Alto Tietê. “No casarão recebemos exposições e outros eventos ligados à cultura na nossa cidade. É, sem dúvida, uma data que merece ser celebrada”, destacou.

Reforma

O Casarão da Memória foi reaberto em 26 de setembro do ano passado, quando as atividades que haviam sido suspensas na pandemia do novo coronavírus (Covid-19) já estavam sendo retomadas. A revitalização do espaço recebeu um investimento de R$ 210 mil.

Crédito das fotos: Wanderley Costa/Secop Suzano

20 visualizações0 comentário